Navigation

Ex-presidente de El Salvador terá que restituir US$ 4,4 milhões ao fisco

(2018) O ex-presidente de El Salvador Elías Antonio Saca, durante julgamento por corrupção, em San Salvador afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 06. janeiro 2021 - 01:55
(AFP)

O ex-presidente de El Salvador Elías Antonio Saca, que cumpre pena por corrupção, e a mulher terão que devolver ao Estado mais de 4,4 milhões de dólares, depois que um tribunal os declarou culpados por enriquecimento ilícito.

Saca (2004-2009) deverá "restituir ao Estado 3.832.698 dólares" e a mulher, Ana Ligia Mixco de Saca, 589.608 dólares, determinou um tribunal civil em San Salvador. Eles poderão recorrer da sentença, que deixa o ex-presidente inabilitado a exercer qualquer cargo público por um período de 10 anos.

Desde setembro de 2018, Saca cumpre pena de 10 anos por desvio de dinheiro público e lavagem de dinheiro. Naquela ocasião, foi condenado a devolver ao Estado 260,7 milhões de dólares.

Saca foi o segundo ex-presidente processado por corrupção em El Salvador, depois de Francisco Flores (1999-2004), acusado de desviar 15 milhões de dólares doados por Taiwan, que cumpria prisão domiciliar e morreu de parada respiratória em 31 de janeiro de 2016.

O ex-presidente Mauricio Funes (2009-2014) também é requerido pela Justiça do país, após ser acusado de uma série de crimes, entre eles lavagem de dinheiro. Funes está refugiado desde 2016 na Nicarágua, cujo governo rejeitou um pedido de extradição e concedeu ao ex-presidente cidadania nicaraguense.

Partilhar este artigo