Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

"A operação Galvani nos ajudará a ter uma capacidade de produção de fertilizantes a base de fosfato no centro do país e nas zonas agrícolas atrativas e em pleno desenvolvimento no Brasil", declarou o diretor geral da Yara, Joergen Ole Haslestad.

(afp_tickers)

A fabricante norueguesa de fertilizantes Yara International, uma das líderes mundiais do setor, reforçará a presença no Brasil com a compra de 60% do grupo Galvani Indústria, Comércio e Serviços.

A compra custará 318 milhões de dólares, segundo a empresa norueguesa.

"A operação Galvani nos ajudará a ter uma capacidade de produção de fertilizantes a base de fosfato no centro do país e nas zonas agrícolas atrativas e em pleno desenvolvimento no Brasil", declarou o diretor geral da Yara, Joergen Ole Haslestad.

Além do valor da compra serão adicionados 93 milhões de dólares para assumir a dívida e uma injeção, sob certas condições, de US$ 165 milhões na empresa brasileira.

A Yara já tem uma boa presença no Brasil, particularmente depois da compra no ano passado de ativos da americana Bunge no país por 750 milhões de dólares. A operação incluiu 22 unidades com uma produção anual de 4,8 milhões de toneladas de fertilizantes.

O grupo Galvani tem capacidade de produção anual de quase um milhão de toneladas de superfosfato simples, alimentado pela exploração de três minas, duas delas de sua propriedade.

O grupo brasileiro projeta ainda o desenvolvimento de outras três fábricas de extração de fosfato de rocha. A Yara se comprometeu a investir 552 milhões de dólares nos projetos.

A aquisição, que ainda depende da aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade), deve ser concluída no quarto trimestre, segundo a empresa norueguesa.

AFP