Navigation

Facebook admite ter guardado senhas não encriptadas de usuários

O Facebook admitiu, nesta quinta-feira, que milhões de senhas ficaram armazenadas como arquivos de texto em seus servidores internos, uma falha de segurança que tornou os códigos acessíveis a funcionários da gigante tecnológica afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 21. março 2019 - 16:45
(AFP)

O Facebook admitiu, nesta quinta-feira (21), que milhões de senhas ficaram armazenadas como arquivos de texto em seus servidores internos, uma falha de segurança que tornou os códigos acessíveis a funcionários da gigante tecnológica.

"Para deixar claro, essas senhas nunca ficaram visíveis para ninguém fora do Facebook e, até então, não encontramos provas de que ninguém tenha abusado internamente, ou as tenha acessado indevidamente", declarou o vice-presidente de engenharia, segurança e privacidade, Pedro Canahuati, em um post de blog.

A falha foi descoberta durante uma revisão de segurança de rotina neste ano, segundo Canahuati.

Ele disse que a empresa do Vale do Silício esperava notificar centenas de milhões de usuários do Facebook Lite, dezenas de milhões de outros usuários e dezenas de milhares de donos de contas no Instagram, cujas senhas ficaram vulneráveis.

A falha básica de segurança foi revelada logo após uma série de controvérsias sobre a qualidade da segurança oferecida pelo Facebook à privacidade e aos dados de seus usuários.

"Nós resolvemos essas questões e, como precaução, vamos notificar todos cujas senhas estavam armazenadas desta forma", resumiu Canahuati.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.