Navigation

Facebook promete vigilância contra desinformação nas eleições americanas

Facebook e Twitter tomaram diferentes medidas contra fluxo de informação enganosa e manipulação sobre as eleições afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 03. novembro 2020 - 17:25
(AFP)

O Facebook se comprometeu a monitorar em tempo real as informações enganosas e as tentativas de manipulação que possam circular em sua plataforma, enquanto milhões de americanos começaram a votar pessoalmente nas eleições presidenciais desta terça-feira.

A empresa afirmou que excluirá todas as informações falsas sobre as eleições, incluindo possíveis reivindicações prematuras de vitória, procurando assim evitar uma repetição dos esforços de manipulação de 2016.

"Nosso Centro de Operações Eleitorais continuará monitorando vários problemas em tempo real - incluindo relatórios de supressão de conteúdo dos eleitores", explicou a plataforma em um comunicado postado no Twitter.

"Se virmos tentativas de suprimir a participação, intimidar eleitores ou organizações para fazer isso, o conteúdo será removido".

O Facebook acrescentou que seu centro eleitoral também está acompanhando outras questões, como as ações de alguns apoiadores do presidente Donald Trump, que pretendem cercar os ônibus de campanha do democrata Joe Biden.

"Estamos monitorando de perto e removeremos o conteúdo que pode causar danos coordenados ou interferência na capacidade de voto de qualquer pessoa", disse o gigante das redes.

A plataforma reiterou que vai instalar etiquetas de advertência em postagens que tentem declarar antecipadamente a vitória de algum dos candidatos.

"Se um candidato presidencial ou partido declarar uma vitória prematura, adicionaremos informações mais específicas nas etiquetas das postagens desse candidato, adicionaremos informações mais específicas nas notificações acima do feed e continuaremos exibindo os resultados mais recentes em nosso Centro de Informações Eleitorais", explicou o Facebook.

O Twitter, por sua vez, colocou uma tag de alerta em um tuíte postado pela conta de Trump na noite de segunda-feira, por espalhar informações enganosas.

A mensagem dizia que uma recontagem lenta de votos no importante estado da Pensilvânia poderia levar a "fraude desenfreada e descontrolada".

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.