Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Os negociadores das Farc Carlos Antonio Lozada (C), Isaias Trujillo (D) e Tanja Nijmeijer, em Havana, no dia 4 de fevereiro de 2015

(afp_tickers)

A guerrilha comunista das Farc anunciou nesta segunda-feira que espera a retomada das negociações de paz em Cuba, na quarta, para selar um acordo com o governo sobre a entrega dos menores de 15 anos "refugiados" em seus acampamentos.

"A delegação de paz das Farc acaba de nos passar uma nota na qual reafirma sua decisão de entregar os menores de 15 anos que estão refugiados em seus acampamentos", declarou a guerrilheira holandesa Tanja Nijmeijer, em um "noticiário" divulgado no blog da delegação em Havana.

"Esperamos que se possa acertar com a delegação do governo, neste ciclo que se inicia na quarta-feira, 17 de junho, os protocolos necessários para se cumprir este compromisso", destacou Nijmeijer, uma das apresentadoras do noticiário e integrante da delegação de paz da guerrilha.

O comunicado não informa quantos menores de 15 anos integram as fileiras das Farc.

O recrutamento de menores faz parte das negociações de paz que as Farc desenvolvem em Cuba com o governo colombiano. Em fevereiro passado, a guerrilha se comprometeu a não mobilizar mais menores de 17 anos.

As delegações do governo de Juan Manuel Santos e das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) celebram negociações de paz em Cuba desde novembro de 2012, para resolver o conflito armado mais antigo da América Latina.

O conflito armado colombiano, que envolve guerrilhas, paramilitares e agentes do Estado, deixou oficialmente mais de 220.000 mortos e seis milhões de deslocados.

AFP