Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O comandante das Farc, Marcos Calarca, lê uma declaração durante as discussões de paz com o governo colombiano em Havana, no dia 30 de julho de 2015

(afp_tickers)

As Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) expressaram neste domingo sua vontade de reunir-se com o papa Francisco durante sua visita a Cuba em setembro. O grupo insurgente negocia na ilha a paz com o governo colombiano desde 2012.

"Seria extraordinário", disse à imprensa o chefe negociador da guerrilha, Iván Márquez, antes de iniciar o recesso nas negociações de paz de Havana, que irá até 17 de agosto.

"Imaginem o impacto do apoio do papa Francisco a esse esforço coletivo feito por todos os colombianos para conseguir concluir a nossa reconciliação após décadas de confronto", acrescentou.

Francisco, que participou das negociações secretas que aproximaram Estados Unidos e Cuba, visitará a ilha entre os dias 19 e 22 de setembro.

Após o recente périplo de oito dias por Equador, Bolívia e Paraguai, o papa pediu que o processo de paz na Colômbia não fosse interrompido.

"Estamos sempre dispostos a ajudar. De muitas formas. Seria feio que não se pudesse seguir em frente com o processo de paz", acrescentou o pontífice.

AFP