Navigation

Governo argentino intima bancos para pagamento de bônus que Griesa impede

O anúncio ocorre pouco antes do início da primeira reunião em Nova York entre o mediador Daniel Pollak e uma comitiva de funcionários argentinos. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. julho 2014 - 13:37
(AFP)

O governo argentino intimou novamente os bancos encarregados de pagar sua dívida soberana para que cancelem um vencimento de bônus reestruturados bloqueado pelo juiz de Nova York Thomas Griesa, no litígio com fundos especulativos, informou nesta segunda-feira o chefe de Gabinete.

O anúncio ocorre pouco antes do início nesta segunda-feira da primeira reunião em Nova York entre o mediador designado por Griesa, Daniel Pollak, e uma comitiva de funcionários argentinos liderada pelo ministro da Economia, Axel Kicillof, na batalha legal com os fundos que ganharam um julgamento contra a Argentina.

"A Argentina depositou os recursos e não existe atribuição por parte de um poder estrangeiro para impedir o recebimento por parte dos detentores", declarou o chefe de Gabinete, Jorge Capitanich, em uma coletiva de imprensa.

O pagamento, que deveria ter sido efetivado no dia 30 de junho, foi bloqueado por Griesa até que a Argentina cumpra com a decisão que a obriga a pagar 1,3 bilhão de dólares a fundos que rejeitaram as permutas (swap) de 2005 e 2010.

A Argentina depositou no dia 26 de junho os pagamentos dos bônus reestruturados que venciam quatro dias depois, mas Griesa bloqueou as transferências e ordenou que fossem devolvidas ao seu lugar de origem.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.