Navigation

Governo divulga dados de coronavírus depois de números contraditórios

Manifestantes participam de ato pró-Bolsonaro, em Brasília, em 24 de maio de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 08. junho 2020 - 19:46
(AFP)

O Ministério da Saúde do Brasil retificou nesta segunda-feira (8) o número de mortos e de casos do novo coronavírus após publicarem duas divulgações com números diferentes no último domingo, o que intensificou a polêmica sobre os erros nos dados da pandemia.

"O Ministério da Saúde informa que corrigiu duplicações e atualizou os dados divulgados sobre casos e óbitos por COVID-19 no último domingo (7)", indicou a pasta em comunicado.

Segundo a nota, o Brasil registrou até o último domingo 18.912 casos e 525 novas mortes, acumulando 691.758 casos e 36.455 mortes. O país é o segundo em número de casos e o terceiro em mortes no mundo.

No domingo à noite, o Ministério da Saúde emitiu dois relatórios com dados incompletos ou com diferenças em relação ao número total de mortos e casos.

O segundo relatório coincide com o publicado nesta segunda, mas o primeiro indicou 12.581 casos e 1.382 mortes em 24 horas.

As mudanças foram feitas sem nenhuma explicação, ocorrendo em meio a uma polêmica sobre as mudanças na política de comunicação do governo Bolsonaro, que desde o início da pandemia busca minimizar o impacto da doença.

Conforme explicado pelo Ministério da Saúde nesta segunda, as contagens divergiram porque 762 mortes foram registradas por erro no estado de Roraima, em vez de 142, e no estado do Ceará os dados corretos de casos foram um pouco mais altos do que o inicialmente indicado.

"É urgente que o Ministério da Saúde divulgue os números com seriedade, respeitando os brasileiros e em horário adequado. Não se brinca com mortes e doentes", ressaltou na noite de domingo o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, alertando que o órgão investigará os dados.

O Conselho Nacional de Secretários da Saúde (Conass), que congrega os secretários regionais dessa área de atuação, acusou o governo de "invisibilizar" as mortes pela COVID-19.

Na última sexta, o ministério começou a emitir relatórios com o balanço diário de novos casos, mortos e recuperados, sem mencionar o balanço global.

Nesta segunda, o ministério insistiu que está em processo de atualizar a plataforma.

"Busca-se a elaboração e a disponibilização de dados epidemiológicos e estatísticos fidedignos, com base em números reais e transparentes e atualização periódica", acrescentou em nota oficial.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.