Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Bananas da Chiquita Brands International são vendidas em um mercado de Washington, capital dos Estados Unidos.

(afp_tickers)

A empresa exportadora de sucos de laranja Cutrale e o Grupo Safra anunciaram nesta segunda-feira em um comunicado que pretendem comprar por 611 milhões de dólares a produtora americana de bananas Chiquita Brands International.

Essa oferta, feita em uma carta dirigida aos diretores da Chiquita, ameaça a fusão em andamento entre a produtora de bananas e a empresa irlandesa Fyffes, que permitiria ao grupo americano estabelecer domicílio na Irlanda para reduzir sua carga fiscal.

A fabricante de sucos Cutrale, fundada pelo empresário brasileiro José Luis Cutrale, e o fundo de investimentos Safra, criado por Joseph Safra, propuseram aos acionistas da Chiquita Brands 13 dólares por ação, em dinheiro.

Com esse preço, o produtor de bananas teve uma valorização de 611 milhões de dólares.

A oferta representa cerca de 30% a mais do que a cotação 10,06 dólares por ação da Chiquita no fechamento da última sexta-feira, base da proposta de fusão com a Fyffes, afirmaram os interessados em uma carta enviada aos diretores do grupo americano.

"Se conseguirmos respeitar os prazos e as discussões, poderemos concluir a transação antes do fim do ano, mesmo tempo que o previsto para a operação com a Fyffes", acrescenta.

"Nossa proposta também oferece um valor superior em comparação ao histórico de preços das ações da Chiquita", completam.

Os grupos Cutrale e Safra esclareceram ainda que a oferta "não está sujeita a nenhuma condição financeira".

- "Melhor do que fusão com a Fyffes" -

Em março, a Chiquita Brands e a irlandesa Fyffes anunciaram sua fusão para criar a "ChiquitaFyffes", maior produtora de bananas do mundo, com presença em mais de 70 países e receitas anuais de 4,6 bilhões de dólares.

A operação dará lugar a uma companhia avaliada em 1,070 bilhão de dólares, que contará com mais de 24.000 hectares próprios ou arrendados na América Central e empregará cerca de 32.000 pessoas no mundo todo.

A Chiquita é líder mundial na venda e distribuição de produtos frescos, incluindo bananas e saladas embaladas. A Fyffes, por sua vez, é uma das maiores distribuidoras de produtos tropicais na Europa, como bananas, abacaxi e melões.

Ao se posicionar como alternativa à Fyffes, a Cutrale e o Safra oferecem à Chiquita "uma experiência de nível mundial na indústria e recursos financeiros significativos".

Enquanto a Cutrale afirma ter negócios globais que incluem laranjas, maçãs, pêssegos, limões e soja, o Grupo Safra conta com bancos e investimentos nas Américas do Sul e do Norte, no Oriente Médio e na Ásia.

"Estamos confiantes que esta transação oferece o melhor valor para as ações da Chiquita em comparação com a transação proposta pela Fyffes e realiza o potencial comercial da Chiquita", asseguram.

A Chiquita, com sede em Charlotte, Carolina do Norte, registrou um saldo negativo de 16 milhões de dólares em 2013. Apesar disso, esse valor representa uma grande melhora em relação ao ano anterior, quando teve um prejuízo de 405 milhões.

AFP