Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Na Guatemala, o tremor foi sentido com força e deixaram um ferido na cidade de San Marcos.

(afp_tickers)

O presidente da Guatemala, Otto Pérez, declarou nesta terça-feira estado de calamidade em sete departamentos afetados por um forte terremoto na fronteira com o México, que deixou um morto e milhares de afetados no país.

"Pelos resultados que temos escutado, declaramos estado de calamidade pública", afirmou Pérez em coletiva de imprensa, depois de visitar a cidade de San Pedro Sacatepéquez (oeste), uma das mais afetadas pelo tremor, de magnitude 6,9.

O presidente explicou que "foram dadas as instruções" para declarar essa medida de emergência, prevista para durar 30 dias. O objetivo é possibilitar um auxílio maior às pessoas afetadas pelo terremoto.

Os estados onde a medida será imposta são San Marcos, Huehuetenango, Quetzaltenango, Totonicapán, Sololá (oeste), Retalhuleu e Suchitepéquez (sudoeste).

A visita de Pérez a San Pedro Sacatepéquez - a cerca de 260km a oeste da capital, Cidade da Guatemala - teve momentos de tensão, devido a protestos de moradores, que pediam que as declarações do presidente à imprensa fossem amplificadas por alto-falantes.

O número de feridos aumentou de 81 para 113. A única vítima foi um bebê com apenas um dia de vida, esmagado por parte de um teto no hospital de San Marcos, segundo fontes oficiais.

O número de guatemaltecos afetados pelo tremor chegou a 25.434, enquanto 523 casas sofreram danos, entre elas 220 com problemas graves.

AFP