Navigation

Guatemala gera polêmica sobre número de deportados dos EUA com coronavírus

(Arquivo) O presidente guatemalteco, Alejandro Giammattei afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. abril 2020 - 22:38
(AFP)

O governo da Guatemala recebeu nesta quarta-feira (15) críticas de diferentes setores que exigiram transparência, após a divulgação de informações contraditórias sobre o número de infecções por coronavírus entre deportados dos Estados Unidos.

As críticas ocorreram ao mesmo tempo em que opositores, especialistas em saúde e outros setores do governo tinham solicitado dados concretos sobre o número de casos no país.

O governo de Alejandro Giammattei alega impedir a divulgação de informações que possam prejudicar a privacidade dos infectados.

Controvérsias sobre o número de deportados com o COVID-19 surgiram depois que o ministro da Saúde, Hugo Monroy, disse diante do Congresso na última terça-feira que entre 50% e 75% das 41 pessoas que chegaram à Guatemala em um voo em março tinham testado positivo para a doença.

Horas depois, o funcionário enviou aos jornalistas uma mensagem de vídeo, na qual ele simplesmente disse havia "vários" infectados.

No entanto, a porta-voz do ministério, Ana Lucía Gudiel, informou que apenas cinco pessoas deportadas dos Estados Unidos testaram positivo para a COVID-19.

Diante das contradições, diferentes personalidades da sociedade civil e da política local exigiram esclarecimentos sobre o número de deportados infectados que retornaram ao país.

A ONG Refugiados Internacionais pediu ao governo que solicitasse a suspensão das deportações porque "eles estão colocando em risco os migrantes guatemaltecos e o público".

"O governo dos Estados Unidos deve parar de deportar qualquer pessoa, a menos que testem negativo para a COVID-19. O governo da Guatemala deve pedir aos Estados Unidos que interrompam as deportações até que possam ser realizados testes para interromper a propagação do vírus", segundo a organização.

As deportações de guatemaltecos dos Estados Unidos tiveram uma queda de 13,4% no primeiro trimestre deste ano, em comparação com o mesmo período de 2019.

Dados oficiais indicam que, nesta quarta-feira, 180 pessoas foram diagnosticadas com o novo coronavírus na Guatemala, que já registra cinco mortes.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.