Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, faz uma declaração oficial em Tel Aviv, em 21 de agosto de 2014.

(afp_tickers)

A confiança dos israelenses em seu primeiro-ministro, Benjamin Netanyahu, registrou forte queda desde o início da guerra contra o Hamas na Faixa de Gaza, de acordo com uma pesquisa divulgada nesta quinta-feira.

O percentual de pessoas que analisam positivamente as iniciativas do primeiro-ministro caiu para 53%, enquanto o de israelenses que não aprovam Netanyahu chegou a 33%. Os 14% restantes não manifestaram opinião, indicou o segundo maior canal de televisão privado do país.

Há duas semanas, a mesma pesquisa dava ao premiê 63% de opiniões favoráveis. Essa porcentagem tinha chegado a 82% pouco antes do início da operação "Barreira Protetora", iniciada em 8 de julho.

Apesar disso, um analista político ressaltou que a confiança em Benjamin Netanyahu se mantém acima da que ele tinha antes da guerra na Faixa de Gaza.

No início do mês, uma outra pesquisa havia indicado que a maioria dos israelenses (51%) considera que "ninguém" venceu a guerra entre o Estado hebreu e o Hamas.

Durante esta operação, o Exército israelense sofreu suas perdas mais pesadas desde a guerra contra o Hezbollah libanês em 2006, com 64 soldados mortos. Três civis também morreram em Israel desde o início de seu ofensiva aérea e terrestre que deixou mais de 2.000 mortos no lado palestino, incluindo mais de 550 crianças.

AFP