Navigation

Guerrilha ELN liberta 4 geólogos sequestrados na Colômbia

Guerrilheiros do Exército de Libertação Nacional (ELN) são vistos em foto divulgada em 7 de janeiro de 2015, na Colômbia afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. março 2015 - 18:53
(AFP)

O Exército da Libertação Nacional (ELN), segunda guerrilha da Colômbia, libertou nesta terça-feira quatro geólogos que mantinha sequestrados desde meados de fevereiro, informou o Comitê Internacional da Cruz Vermelha (CICR), que recebeu os profissionais em uma missão integrada, além disso, por um representante da Igreja Católica.

O ELN, atualmente em diálogo preliminar de paz com o governo colombiano, entregou os reféns em uma zona rural do departamento de Norte de Santander, nordeste de Colômbia, segundo um comunicado emitido pela CICV.

Após um exame médico, uma enfermeira do CICV que fazia parte da missão humanitária destacou que os libertados estavam em condições de ser transportados em carros.

"Sabemos que as famílias e os entes queridos destas quatro pessoas os estão esperando e nos alegra poder ajudar que se reúnam logo com eles", disse Christoph Harnisch, chefe da delegação do CICV na Colômbia, citado no texto.

Consultada pela AFP, uma porta-voz do CICV não especificou onde os sequestrados se encontrarão com suas famílias, que celebravam a notícia entre lágrimas nos meios locais.

O ELN reivindicou, em fevereiro, o sequestro dos quatro geólogos, no município de El Carmen, Norte de Santander, na fronteira com a Venezuela.

O sequestro dos profissionais ocorreu, segundo o grupo rebelde, porque "se dispunham a desenvolver estudos relacionados às atividades mineradoras", às quais o ELN se opõe.

Os sequestrados foram identificados como Luz Karina Bánquez Meléndez, Germán Ayala, Andrés Mauricio Botero Arias e John Elber Ríos Parra, todos funcionários da empresa GEMI S.A.S., empresa contratada pelo estatal Serviço Geológico Colombiano (SGC), segundo um comunicado emitido dias atrás pela organização.

"O grupo de geólogos (...) antecipava estudos geocientíficos encaminhados a conhecer as características naturais do território, informação fundamental para projetar o desenvolvimento e as atividades humanas de acordo com as condições naturais do país", disse o SGC.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.