Navigation

Hackers chineses atacam base de dados do governo americano

Os hackers atuaram em março e procuraram os dados de dezenas de milhares de pessoas que queriam obter credenciais de segurança. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. julho 2014 - 14:26
(AFP)

Hackers chineses conseguiram acessar arquivos do governo americano que supostamente teriam informações pessoais de todos os funcionários federais, afirma o jornal New York Times.

Os hackers atuaram em março e procuraram os dados de dezenas de milhares de pessoas que queriam obter credenciais de segurança, segundo o jornal, que cita fontes do governo que pediram anonimato.

A revelação foi feita durante a viagem do secretário de Estado, John Kerry, a China, onde ele chamou a pirataria virtual de "ducha de água fria" para a economia.

No novo caso de pirataria, os hackers conseguiram acessar - antes de serem bloqueados - informações de servidores do Escritório de Administração de Pessoal, a secretaria que trata dos assuntos relacionados aos funcionários federais.

O NYT afirma que os funcionários não sabem até que ponto os sistemas foram violados. Os arquivos incluíam os contatos estrangeiros, os empregos precedentes e informações pessoais, como o consumo de drogas dos postulantes.

Segundo um alto funcionário do governo foi possível comprovar que a invasão teve origem na China, mas não estava claro se os hackers atuavam a serviço do governo chinês.

Quase todos os dias, hackers tentam acessar os sistemas do governo americano, mas poucos conseguem. Este caso é diferente, pois conseguiu abrir uma brecha, destaca o jornal.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.