Navigation

Haddad diz que Lula seria 'grande conselheiro' em seu governo

O candidato do PT, Fernando Haddad, no Rio de Janeiro, em 14 de setembro de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. setembro 2018 - 00:01
(AFP)

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva seria um "grande conselheiro" em um governo do Partido dos Trabalhadores (PT), avaliou nesta segunda-feira o candidato Fernando Haddad, após visitar o líder da esquerda na prisão em Curitiba.

"O Brasil precisa do nosso governo e precisa do Lula orientando como um grande conselheiro", disse Haddad a jornalistas.

"Ele é um interlocutor permanente de todos os dirigentes do partido e nunca deixará de ser. Não temos nenhum problema com isso. Enquanto os outros partidos escondem os seus dirigentes, nós temos muito orgulho de ter o Lula como dirigente".

Esta foi a primeira visita de Haddad à sede da Polícia Federal em Curitiba após ser nomeado oficialmente candidato do PT à presidência. Lula cumpre no local pena de 12 anos e um mês de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro.

A menos de três semanas do primeiro turno das eleições, em 7 de outubro, Haddad surge como o adversário de Jair Bolsonaro no segundo turno, segundo as pesquisas.

Lula, que liderava as sondagens, teve sua candidatura impugnada pela justiça eleitoral com base na lei da Ficha Limpa.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.