Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Suas pesquisas determinaram que as pessoas com estas infecções têm 41% mais chances de sofrer um problema cardiovascular

(afp_tickers)

Os pacientes que têm herpes zóster podem correr um risco maior de sofrer um ataque do coração ou um acidente vascular cerebral (AVC), informaram nesta segunda-feira cientistas sul-coreanos.

Suas pesquisas determinaram que as pessoas com estas infecções têm 41% mais chances de sofrer um problema cardiovascular, ao comparar suas amostras com as de pacientes da mesma idade e que não sofrem deste problema.

As pessoas com herpes zóster correm 59% mais risco de ter um infarto e 35% mais chance de sofrer um AVC, de acordo com o estudo publicado no Journal of the American College of Cardiology.

O herpes zóster, causado pelo vírus da varicela, aparece em forma de erupção cutânea sobre as terminações nervosas e pode provocar fortes dores.

O risco cardiovascular é mais alto durante o primeiro ano após a infecção, segundo a pesquisa, que também estabeleceu que a possibilidade de sofrer um AVC é mais alta em pacientes com menos de 40 anos.

Os cientistas, que fizeram o acompanhamento de 519.800 pessoas entre 2003 e 2013, reconhecem, não obstante, que ainda não podem esclarecer o vínculo entre o herpes zóster e os problemas cardiovasculares.

"Embora essas descobertas necessitem de mais estudos sobre o mecanismo que faz com que os pacientes com herpes zóster tenham mais risco de sofrer um ataque do coração ou um acidente cerebral, é importante que os médicos que tratam estes pacientes informem sobre estes altos riscos", escreveu Sung-Han Kim, do Departamento de Doenças Infecciosas do Asan Medical Center de Seul, e principal autor da pesquisa.

Mais de um americano em cada três tem herpes zóster - para o qual existe uma vacina - ao longo de sua vida, de acordo com o Centro para o Controle e Prevenção de Doenças (CDC, em inglês).

AFP