Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

As causas do mais recente episódio de violência armada nos Estados Unidos ainda não foram determinadas, mas a polícia suspeita que uma briga doméstica provocou a tragédia. 

(afp_tickers)

Um homem matou na quarta-feira no Texas quatro de seus filhos e dois adultos que tomavam conta das crianças, antes de entregar-se à polícia após uma perseguição.

Outra vítima, uma adolescente de 15 anos, também filha do suspeito, foi atingida por vários tiros e está em condição crítica.

Os crimes aconteceram no fim da tarde de quarta-feira em Spring, no subúrbio de Houston, informou o sargento Thomas Gilliland, da polícia do condado de Harris.

As causas do mais recente episódio de violência armada nos Estados Unidos ainda não foram determinadas, mas a polícia suspeita que uma briga doméstica provocou a tragédia.

As quatro crianças eram filhos biológicos ou adotados do suspeito, afirmou Gilliland à imprensa no local do tiroteio.

O homem estava separado da mulher, que não mora no estado do Texas.

A imprensa americana divulgou uma foto de um homem louro com os braços para o alto, depois de descer do carro em uma área do subúrbio de Houston, ao fim da perseguição.

O canal ABC News informou que as crianças assassinadas tinham entre 4 e 13 anos. Uma delas morreu ao chegar ao hospital.

Os adultos que morreram eram homens, segundo a polícia.

Antes de ser levada para o hospital, a adolescente de 15 anos conseguiu indicar à polícia a direção de fuga do suspeito, o que deflagrou uma perseguição que durou cerca de 20 minutos.

A jovem afirmou que o pai também pretendia matar os avós, que moram na mesma região.

Conseguimos cercá-lo em um local sem saída", revelou o chefe de polícia do condado de Harris, Ron Hickman, após o suspeito ser rodeado dentro de um veículo por cerca de 50 policiais armados.

A negociação durou uma hora até a saída do atirador.

"Obviamente foi uma briga doméstica", disse Hickman na quarta-feira à noite.

"Provavelmente um divórcio ou pelo menos uma separação".

O tiroteio é o último de uma série de incidentes similares em um condado assolado pela violência com armas de fogo.

O presidente americano, Barack Obama, assinalou que é necessário um "exame de consciência nacional" diante da violência com armas de fogo.

No dia 23 de maio, um estudante matou seis pessoas e cometeu suicídio na Califórnia. Em 5 de junho, um homem matou uma pessoa e feriu outras duas com arma de fogo em um campus de Seattle.

No mesmo mês, um casal matou dois policiais e um civil em Las Vegas. Um adolescente matou um estudante de 14 anos em uma escola do Oregon.

AFP