Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A chanceler de Honduras, María Dolores Agüero, no dia 12 de março de 2017, em Tegucigalpa

(afp_tickers)

A chancelaria hondurenha protestou nesta segunda-feira (23) ante a Guatemala pela contaminação gerada no fronteiriço Golfo de Honduras por dejetos provenientes desse país, ao qual pediu para "reparar o dano ambiental".

Em uma declaração, Tegucigalpa manifestou "sua preocupação pela alarmante contaminação do mar no Golfo de Honduras" causada por "dejetos sólidos provenientes de municípios localizados na bacia do rio Motagua", na fronteira comum.

O texto acrescentou que há três anos solicitou à Guatemala que remediasse a situação que prejudica a população hondurenha de distintos municípios, como o de Omoa.

Lamentou igualmente que "apesar das distintas manifestações ante o governo da Guatemala, não houve ações para solucionar o problema", pelo qual solicitou "realizar as ações pertinentes para reparar o dano ambiental".

As autoridades e vizinhos de Omoa vêm reclamando pelo acúmulo de grandes quantidades de lixo, como plásticos, que são arrastados pelas correntes da Guatemala ao litoral hondurenho.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.

swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

AFP