Navigation

Igreja venezuelana exige saída de Maduro para realizar eleições 'livres'

Presidente Nicolás Maduro, em Caracas, em 5 de julho de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. julho 2019 - 20:00
(AFP)

A Igreja católica venezuelana exigiu, nesta quinta-feira (11), a saída do presidente Nicolás Maduro do poder e a convocação de novas eleições como solução para a grave crise política e econômica.

"A Venezuela clama aos berros por uma mudança de rumo (...). Essa mudança exige a saída de quem exerce o poder de forma ilegítima e a eleição no menor tempo possível de um novo presidente", afirmou a Conferência Episcopal em uma declaração lida no início de uma assembleia ordinária.

Maduro "deve se retirar" da presidência "para que sejam realizadas realmente eleições (...) livres", acrescentou o arcebispo Jesús González, em entrevista coletiva.

Na última segunda-feira, delegados de Maduro e do líder opositor Juan Guaidó retomaram em Barbados diálogos iniciados em maio, em Oslo, para buscar saídas para a crise. A negociação está sendo mediada pela Noruega.

Na quarta-feira à noite, o número dois do chavismo, Diosdado Cabello, negou que as partes estejam discutindo a convocação de novas eleições presidenciais.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.