Navigation

Indignação na Filadélfia depois que estudante vacinou seus amigos sem os requisitos

Primeiras vacinas contra covid-19 no hospital Jefferson Health na Filadélfia, 16 de dezembro de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 28. janeiro 2021 - 18:57
(AFP)

O caso de um jovem estudante que vacinou quatro amigos contra o coronavírus na Filadélfia gerou indignação nos Estados Unidos, onde a escassez de vacinas tem impedido muitos idosos de serem imunizados.

O estudante universitário, Andrei Doroshin, de 22 anos, admitiu na quinta-feira (28) em uma entrevista para NBC que cometeu um erro ao apoderar-se das vacinas da associação "Philly lutando contra a covid", que foi criada em 2020 com voluntários, para vacinar seus amigos.

Mas garantiu que depois de um dia de uma massiva vacinação à pessoas que cumpriam os requisitos, haviam sobrado quatro vacinas que perderiam a validade se não fossem usadas, e por isso decidiu vacinar ele mesmo a seus amigos.

"As doses iriam expirar (...) É meu erro. É um erro que carregarei comigo até o fim da minha vida. Mas não é um erro da organização", afirmou Doroshin a NBC.

Como resultado do ocorrido, o governo municipal da Filadélfia cortou suas relações com a organização, que há algum tempo passou a ser um grupo sem fins lucrativos ao invés de uma empresa que busca rentabilidade.

As vacinas Pfizer/BioNTech e Moderna devem ser mantidas a temperaturas extremamente baixas e sua duração é muito limitada quando o lacre é aberto.

Na terça-feira, no Oregon, um grupo de profissionais da saúde cujo o automóvel ficou atolado na neve durante uma tempestade com seis vacinas da Moderna perto de expirar, decidiu vacinar os outros condutores na mesma situação, informou o New York Times.

"Um cara ficou tão feliz que tirou a camisa e saltou do carro", contou ao jornal Michael Weber, diretor de saúde pública do condado de Josephine, em Oregon.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?