Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) O Japão suspendeu um alerta de tsunami neste sábado de manhã (horário local), emitido menos de duas horas antes, após o terremoto de 6,8 graus de magnitude no Pacífico, na altura de Fukushima

(afp_tickers)

O Japão suspendeu um alerta de tsunami neste sábado de manhã (horário local), emitido menos de duas horas antes, após o forte terremoto de 6,8 graus de magnitude no Pacífico, na altura de Fukushima - anunciaram as autoridades.

Em Fukushima, está localizada a central nuclear acidentada há mais de três anos. O tsunami de 11 de março de 2011 deixou mais de 18 mil mortos.

"Suspendemos o alerta de tsunami, mas não se aproximem da costa por enquanto, porque pode haver mudanças no nível da água", explicou a Agência Meteorológica do Japão.

A Agência Meteorológica havia informado que um tsunami local de mais de um metro poderia atingir a costa pacífica das cidades de Fukushima, Iwate e Miyagi após o terremoto - as mesmas que já haviam sido afetadas em 11 de março de 2011.

Segundo o Instituto Geológico americano (USGS, na sigla em inglês), a profundidade do epicentro do sismo chegou a dez quilômetros, registrado às 4h20 (16h20 de sexta-feira em Brasília).

Um primeiro aumento de 20 cm no nível das águas foi registrado menos de uma hora depois do sismo em Ishinomaki, a cidade costeira mais afetada há três anos e meio. Ondas de alguns centímetros chegaram a vários pontos das cidades de Miyagi, Iwate e Fukushima.

O alarme dos celulares dos jornalistas da AFP soou por cerca de 30 segundos antes do tremor, graças a um sistema de detecção e às informações da Agência de Meteorologia.

Pouco depois, a notícia foi confirmada pela Agência Meteorológica e, em seguida, apareceram os primeiros depoimentos no Twitter - incluindo o de um funcionário de Fukushima que descreveu um "incrível sismo".

Alguns minutos depois do terremoto, a companhia gestora das duas centrais de Fukushima, Fukushima Daiichi e Daini, declarou que, "até o momento, não se detectou qualquer anomalia nas instalações".

As operadoras de unidades nucleares vizinhas, também paradas, deram o mesmo tipo de informação.

O canal de televisão pública NHK interrompeu de imediato sua programação para transmitir as notícias sobre o fenômeno. De acordo com a rede NHK, pelo menos três idosos da cidade de Fukushima sofreram quedas durante os tremores e se machucaram.

O operador da central de Fukushima também pediu a seus funcionários que não se aproximem do Oceano Pacífico, vizinho do complexo, completou a emissora.

Os habitantes das localidades de Iwate, mais ao norte, foram aconselhados a evacuar a área.

AFP