Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Jihadistas explodiram nesta sexta-feira um lugar de culto xiita e executaram publicamente o muezim (que anuncia as orações) da cidade de Jalawla, ao norte de Bagdá, indicaram testemunhas e o chefe da polícia regional

(afp_tickers)

Jihadistas explodiram nesta sexta-feira um lugar de culto xiita e executaram publicamente o muezim (que anuncia as orações) da cidade de Jalawla, ao norte de Bagdá, indicaram testemunhas e o chefe da polícia regional.

Insurgentes sunitas do grupo ultrarradical islâmico do Estado Islâmico (EI) prenderam o muezim, responsável pelo chamado à oração muçulmana, antes de destruírem o "husseiniyah" (local de culto xiita) de Jalawla, segundo o chefe da polícia.

"Em seguida, eles espancaram o homem em frente à mesquita", acrescentou o oficial da província de Diyala, caracterizada pela sua população mista compreendendo xiitas e sunitas. Testemunhas confirmaram a execução.

Os jihadistas haviam tomado na segunda-feira esta cidade localizada 130 km ao norte de Bagdá, após dois dias de combates com as forças curdas peshmergas, que perderam 10 homens.

Na localidade de Sayed Ahmad, ao norte de Jalawla, os jihadistas também executaram seis policiais, segundo as mesmas fontes.

Desde o início de sua ofensiva, lançada em 9 de junho, os jihadistas do IE tomaram o controle de grandes porções do território no norte, centro e oeste do Iraque.

As forças do governo mostraram-se incapazes de frear os avanços dos jihadistas, sendo, em algumas cidades, substituídas pelos peshmergas tinha então substituído

AFP