Navigation

Johnson & Johnson e IDT Biologika fecham acordo para produzir vacinas anticovid na Alemanha

Doses da vacina Johnson & Johnson afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 15. março 2021 - 13:07
(AFP)

O governo alemão aplaudiu a assinatura de um acordo entre o grupo americano Johnson & Johnson e o laboratório IDT Biologika para produzir doses de vacinas anticovid na Alemanha, em um contexto de atrasos na entrega de doses na UE.

O acordo facilitará que Johnson & Johnson utilize "durante três meses" as instalações da IDT Biologika na Alemanha para a embalagem da vacina, o que "aumentará a confiabilidade das entregas" do imunizante na UE, considerou o ministro alemão de Economia, Peter Altmaier.

Berlim questionou o circuito de produção da Johnson & Jonhson: as vacinas fabricadas na Europa são enviadas aos Estados Unidos para serem embaladas. Depois disso, o produto finalizado passa a estar sob a legislação americana, que restringe as exportações de vacinas.

Realizando esse proceso final em uma fábrica da Alemanha, será possível "aumentar a possibilidade de distribuir essa vacina por todo o mundo", afirmou a Johnson & Johnson em um comunicado transmitido à AFP.

Espera-se que a aprovação da UE do imunizante da Johnson & Johnson acelere a campanha de vacinação no bloco comunitário.

No entanto, o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, alertou na sexta-feira que as primeiras doses seriam entregues "muito em breve" a partir de meados de abril.

A UE encomendou 200 milhões de doses da vacina americana e pode pedir outros 200 milhões.

Este imunizante é o primeiro contra a covid-19 que precisa de apenas uma injeção em vez de duas, e pode ser armazenado na temperatura de um frigorífico.

Desse modo, a IDT Biologika se torna o "décimo produtor" associado à Johnson & Johnson. O laboratório alemão também assinou um contrato com a AstraZeneca em fevereiro para produzir sua vacina na Europa.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?