Navigation

Juiz americano nega pedido da Argentina de suspender decisão em favor de fundos especulativos

Cartaz em Buenos Aires contra os 'fundos abutre' afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. junho 2014 - 23:35
(AFP)

O juiz norte-americano Thomas Griesa negou nesta quinta-feira o pedido do governo argentino para deixar em suspenso a sentença que obriga o país a pagar os bônus em default desde 2001 nas mãos dos fundos especulativos.

"O pedido de 'stay' (medida cautelar para deixar a sentença em suspenso) foi negado", escreveu Griesa em um documento enviado às partes e ao qual a AFP teve acesso. A Argentina havia pedido que a decisão favorável aos fundos especulativos fosse suspensa para criar condições apropriadas para negociar uma saída à situação.

Na opinião do juiz Griesa, "tal pedido não é apropriado" já que a decisão não entra em vigor a não ser no momento em que a Argentina pagar seus credores. "A corte não tem controle se o governo da Argentina faz ou não esses pagamentos", afirmou.

A Argentina depositou nesta quinta-feira 1 bilhões de dólares para pagar os credores que aceitaram renegociar a dívida em 2005 e 2010, informou o ministro da Economia, Axcel Kicillof. Em função da sentença esse dinheiro pode ser embargado pelos fundos especulativos vencedores do litígio.

Griesa também afirmou que a corte entende que as negociações realizadas sob supervisão do advogado Daniel Pollack "incluirão a discussão de qualquer eventual pagamento realizado a credores da dívida".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.