Navigation

Justiça argentina vai retomar julgamento que tem Cristina Kirchner no banco dos réus

(Arquivo) A vice-presidente argentina, Cristina Kirchner afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 24. julho 2020 - 20:36
(AFP)

O julgamento por corrupção em concessão de obra pública que tem, entre seus réus, a ex-presidente e atual vice-presidente argentina, Cristina Kirchner, 67, será retomado no próximo dia 3 de agosto, após permanecer 140 dias suspenso devido ao novo coronavírus.

A decisão foi tomada pelo Tribunal Oral Federal 2, após o "resultado satisfatório" de uma prova técnica realizada ontem, segundo a resolução, assinada nesta sexta-feira.

As audiências serão realizadas às segundas e terças, de forma remota. O advogado de Cristina Kirchner, Carlos Beraldi, solicitou que as sessões sejam transmitidas ao vivo.

O julgamento teve início em maio do ano passado, durante a campanha eleitoral em que Cristina foi eleita vice-presidente na chapa peronista de centro-esquerda encabeçada por Alberto Fernández. Esta é a primeira de nove causas envolvendo a vice que chegou a julgamento oral.

Cristina Kirchner afirma que as causas contra ela foram motivadas por perseguição política e judicial durante o governo de Mauricio Macri (2015-2019) e por uma inimizade pessoal do ex-juiz Claudio Bonadio, que conduziu a maioria dos casos até fevereiro passado, quando morreu.

No julgamento atual, Cristina é acusada de favorecer o empresário Lázaro Báez na concessão de 51 obras viárias na província patagônica de Santa Cruz, reduto histórico do casal Kirchner. Também é discutido o superfaturamento e descumprimento de contrato nestas concessões. Báez está preso desde abril de 2016.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.