Navigation

Kaseya afirma ter restaurado seus servidores após ataque cibernético

Um teclado de computador fotografado de perto, em Brest, 25 de junho de 2019 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 12. julho 2021 - 14:59
(AFP)

A empresa de software americana Kaseya informou, nesta segunda-feira (12), que restaurou completamente seus servidores, mais de uma semana após ser vítima de um ataque de ransomware que paralisou centenas de empresas em todo o mundo.

A empresa de TI (tecnologia de informação) com sede em Miami declarou que restaurou completamente suas operações de software VSA, que é usado para administrar redes de computadores e impressoras.

"A restauração dos serviços já está completa", disse um relatório atualizado da empresa, depois de vários dias de atrasos e reparação parcial durante o fim de semana.

"Continuaremos publicando atualizações sobre o progresso da implementação da correção (de segurança) e o estado do servidor", afirmou a Kaseya, que fornece serviços informáticos para quase 40.000 empresas de vinte países.

A notícia chega após alguns analistas terem afirmado que esse pode ter sido o maior ataque de ransomware já registrado.

Esses ataques são uma forma cada vez mais lucrativa de fazer reféns a nível digital. Os hackers bloqueiam os dados dos servidores das vítimas e depois exigem dinheiro para restabelecer o acesso.

O ataque sem precedentes, que estima-se ter sido realizado por um grupo de hackers com sede na Rússia, afetou cerca de 1.500 empresas no mundo e provocou um pedido de resgate de 70 milhões de dólares.

A invasão contra a Kaseya, anunciada em 2 de julho, afetou uma importante rede de supermercados sueca, que teve que fechar 800 lojas, e gerou consequências no mundo todo, afetando negócios de pelo menos 17 países, desde farmácias até estações de serviço, assim como dezenas de jardins de infância na Nova Zelândia.

A Kaseya informou que apenas 60 clientes diretos foram afetados pelo ciberataque de sexta-feira, mas se acrescentar as vítimas indiretas - os clientes de seus clientes -, considerou que no total cerca de 1.500 empresas foram afetadas.

Embora a Kaseya seja pouco conhecida pelo público, os analistas afirmam que era alvo dos hackers porque milhares de empresas usam seu software, o que permite aos invasores paralisarem muitas empresas de uma só vez.

Na sexta-feira, o presidente dos EUA, Joe Biden, alertou mais uma vez ao seu homólogo russo Vladimir Putin para que "tome medidas" contra os hackers que operam na Rússia.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?