Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Protesto em frente à embaixada americana em Awkar, no Líbano, contra os ataques israelenses na Faixa de Gaza.

(afp_tickers)

O Líbano apresentou nesta quinta-feira uma demanda contra Israel no Conselho de Segurança da ONU por "perigosas e reiteradas violações contra sua soberania", informa um comunicado do ministério das Relações Exteriores.

De acordo com Beirute, o vizinho do sul lançou, entre 11 e 14 de julho, 102 obuses de artilharia contra seu território.

De acordo com um balanço da AFP, nove foguetes foram lançados a partir do Líbano contra Israel no mesmo período.

"O Líbano condena os lançamentos de foguete contra a Palestina ocupada (Israel), por parte de elementos incontroláveis ou por pequenos grupos marginais, e destaca que estes atos ameaçam a paz e a estabilidade, não servem nem para o interesse do Líbano nem o da resistência palestina e oferecem pretextos a Israel para agredir o Líbano e sua soberania", afirma o comunicado.

O ministério recorda que o país prendeu recentemente "indivíduos envolvidos nos lançamentos".

O governo libanês destaca que respeita todos os pontos da resolução 1701 (que acabou com guerra de 2006 entre Israel e o Hezbollah libanês) eque seu exército realiza a tarefa em conjunto com a Força Interina da ONU no Líbano (Finul)

De janeiro a maio, Israel "violou 516 vezes a resolução por via aérea, por terra ou por mar", afirma o comunicado do ministério.

AFP