Navigation

Laboratório chinês obtém US$ 515 milhões USD para vacina anti-covid

O laboratório chinês Sinovac Biotech pretende produzir 600 milhões de doses até o fim do ano afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. dezembro 2020 - 09:30
(AFP)

O laboratório chinês Sinovac Biotech anunciou nesta segunda-feira que conseguiu um financiamento de 515 milhões de dólares para produzir sua vacina contra o novo coronavírus, uma das mais avançadas a nível mundial.

A China, onde a epidemia surgiu há um ano, conseguiu conter a propagação do vírus e o balanço oficial do país registra 4.634 mortes provocadas pela covid-19.

O país iniciou várias pesquisas para tentar desenvolver eventuais vacinas.

O grupo chinês Sino Biopharmaceutical, que tem cotação na Bolsa de Hong Kong, anunciou um investimento de 515 milhões de dólares na vacina da Sinovac, que recebeu o nome CoronaVac.

O grupo privado pretende produzir 600 milhões de doses até o fim do ano.

A vacina está na fase 3 de testes clínicos em vários países, como o Brasil, e a agência reguladora chinesa ainda não autorizou a comercialização.

O produto "alcançou uma etapa muito importante nos testes clínicos na Ásia e na América Latina", afirmou o presidente da Sinovac, Yin Weidong, em um comunicado.

Ao mesmo tempo, a Sino Biopharmaceutical, que tem sede em Pequim, receberá 15% do capital de uma filial da Sinovac, a Sinovac Life Sciences.

Pequim começou a administrar vacinas em alguns grupos prioritários da população, como profissionais da saúde, diplomata, trabalhadores e estudantes que têm mudanças programadas para o exterior.

Quase um milhão de pessoas foram vacinadas com outro antídoto chinês experimental, produzida pela Sinopharm (concorrente da Sinovac), anunciou este grupo no mês passado.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?