Navigation

Mãe de salvadorenha morta no México pede a Biden que EUA receba suas netas

Memorial é improvisado durante uma manifestação chamada "Justiça para Victoria" pela morte da salvadorenha Victoria Esperanza Salazar, que foi subjugada pela polícia em Tulum, um resort no Caribe mexicano, em San Salvador, em 29 de março ,2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 31. março 2021 - 20:29
(AFP)

A mãe da salvadorenha Victoria Salazar, que morreu depois de uma ação da polícia no México, pediu nesta quarta-feira (31) que o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, que lhe "estenda a mão" e dê refúgio às suas duas netas, filhas da vítima.

Rosibel Arriaza, mãe de Victoria, se preparava nesta quarta-feira para viajar para o México para ver o corpo de sua filha assassinada e se reencontrar com suas netas, apesar de uma delas estar desaparecida.

“Vou com a esperança de ver minhas netas, confortando-as, embora tenha a angústia de que uma das meninas esteja desaparecida e espero que ela possa aparecer em breve”, disse Arriaza à AFP por telefone antes de embarcar para o México.

O governo salvadorenho lhe concedeu ajuda para a viagem e estadia naquele país, explicou.

"Tenho medo de que algo aconteça às minhas netas no México e não quero trazê-las para El Salvador. Quero pedir ao presidente Biden que me ajude, estenda a mão e dê refúgio a minhas netas nos Estados Unidos", acrescentou Arriaza.

“Não sei quando vou voltar, nem se vou poder trazer o corpo da minha filha comigo para o país, não sei, tem sido tudo muito difícil”, disse a mãe de Victoria, que pede justiça pelo assassinato de sua filha.

A salvadorenha, que morreu no sábado após ser subjugada por um policial em Tulum, estado de Quintana Roo, no sul do país, morava no México há cinco anos e era mãe de duas meninas de 15 e 16 anos.

Segundo informações das autoridades mexicanas, o companheiro de Victoria foi preso por supostamente abusar da filha mais nova da vítima.

O presidente de El Salvador, Nayib Bukele, indicou no Twitter que Victoria havia denunciado seu parceiro semanas atrás e que ela levou sua filha a um abrigo para protegê-la de seu agressor.

"Peço ao presidente Biden que me faça um favor e me dê algo, abrigo ou algo para minhas netas, porque tenho esperança de que minha outra neta desaparecida apareça", insistiu Arriaza.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?