Navigation

Machu Picchu aumenta capacidade após redução de casos por covid-19 no Peru

A cidadela inca de Machu Picchu, joia do turismo do Peru, aumentou sua capacidade de visitantes na segunda-feira de 30% para 40% devido à diminuição das infecções por covid-19 no país afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 10. maio 2021 - 19:41
(AFP)

A cidadela inca de Machu Picchu, joia do turismo no Peru, anunciou nesta segunda-feira (10) que passará a receber 40% da capacidade de visitantes permitida antes da pandemia, devido à diminuição dos casos por covid-19 no país.

“A capacidade diária da cidadela aumentou para um total de 897 visitantes”, dos 675 autorizados desde 20 de abril, disse um porta-voz do Ministério da Cultura à AFP.

A medida, que a princípio vai até 30 de maio, implica um aumento de 30% para 40% da capacidade normal do ponto turístico, que em 2020 ficou fechado por quase oito meses por causa da pandemia.

No Peru, na segunda semana de abril, havia 9.332 novos casos por dia em média, mas eles começaram a cair e chegaram a 5.608 diários na última semana.

As mortes também diminuíram de uma média de 356 por dia na terceira semana de abril para 282 na última semana; e o número de pacientes hospitalizados caiu no mesmo período de 15.547 para 13.980, de acordo com o balanço oficial sobre a covid-19.

Com essas quedas, a região andina de Cusco, onde fica Machu Picchu, e outras áreas do país, inclusive Lima, passaram da classificação de risco "extremo" para "muito alto".

O aumento da capacidade também se aplica a outros sítios arqueológicos em zonas de risco "muito alto", que agora podem ser visitados todos os dias, exceto domingos.

Desde a reabertura em novembro, o uso de máscaras é obrigatório para percorrer a cidadela de pedra, construída na época do imperador inca Pachacútec, no século XV.

Machu Picchu, que recebia 2.244 visitantes por dia antes da pandemia, foi fechada novamente em fevereiro para mais uma quarentena que representou um novo golpe para o turismo, setor econômico mais afetado pelo coronavírus no Peru.

O PIB peruano caiu 11,12% em 2020, mas o impacto foi muito maior para o turismo (-50,45%). A região de Cusco deixou de receber cerca de 1,4 bilhão de dólares no ano passado devido à ausência de turistas.

A cidade de Cusco é a antiga capital do Império Inca e vivia principalmente do turismo, assim como os povoados do Vale Sagrado dos Incas, onde fica Machu Picchu. A cidadela foi declarada Patrimônio Mundial pela Unesco em 1983.

Com 33 milhões de habitantes, o Peru acumula 1,8 milhão de infecções por covid-19 e 64.103 mortes, de acordo com dados oficiais. Cusco registra 56.908 casos e 1.260 mortes.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?