Navigation

Maduro aposta em exportações de petróleo para China

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, promete exportar um milhão de barris de petróleo diários para a China. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 19. outubro 2018 - 23:38
(AFP)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, declarou nesta sexta-feira que "chova ou faça sol" seu país exportará um milhão de barris de petróleo diários para a China.

"Vamos chegar a um milhão de barris diários para a China, chova ou faça sol. General Manuel Quevedo, é preciso investir", disse Maduro em referência ao presidente da estatal Petróleos da Venezuela, durante reunião com empresários.

Maduro afirmou que na Faixa Petrolífera do Orinoco - a maior reserva de petróleo do planeta - "está todo o petróleo que a China precisa para seu desenvolvimento nos próximos 50 ou 100 anos".

Avaliações privadas indicam que em 2017 a Venezuela enviou cerca de 700 mil barris diários de Petróleo à China.

Pequim é o principal credor de Caracas, que já recebeu mais de 62 bilhões de dólares em créditos dos chineses na última década, lastreados principalmente no petróleo.

A Venezuela, que deve cerca de 20 bilhões de dólares ao chineses, está mergulhada em uma grave crise econômica, com cinco anos de recessão, escassez de alimentos e medicamentos, e uma hiperinflação que deve ser de 1.350.000% este ano, segundo o FMI.

A produção de petróleo na Venezuela caiu para 3,2 milhões de barris diários em 2008 para 1,4 milhão em setembro passado, o nível mais baixo em 30 anos, segundo a Opep.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.