Navigation

Maduro habilitará centro de convenções para receber pacientes da COVID-19 na Venezuela

Com capacidade para 20.000 lugares, o Paliedro de Caracas será transformado em hospital de campanha para receber pacientes de coronavírus afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. julho 2020 - 02:18
(AFP)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, anunciou nesta quarta-feira (15) que habilitará as instalações do Poliedro de Caracas, o maior centro de convenções e eventos da Venezuela, para atender pacientes infectados pela COVID-19.

"Mandei preparar o Poliedro de Caracas. Poderá ser, como aconteceu em outras partes do mundo, um hospital de campanha para atender os casos assintomáticos", declarou Maduro, sem dar datas ou detalhes sobre a abertura do espaço.

Com capacidade para 20.000 pessoas, o recinto recebeu no passado bandas como Queen e Metallica e foi por anos o palco do concurso de Miss Venezuela, o evento mais tradicional da industria do entretenimento no país. Também foi sede de competições esportivas de elite, como os Jogos Pan-Americanos.

Contudo, em meio a uma grave crise econômica, as instalações recebem atualmente atos políticos a favor do governo.

Maduro ordenou na terça-feira que o confinamento vigente desde meados de março fosse reforçado em Caracas e no estado vizinho de Miranda diante da propagação do novo coronavírus. A medida obriga o fechamento de negócios, com exceção de supermercados, farmácias e outros comércios considerados essenciais.

Houve 10.428 casos e 100 mortes pela COVID-19 na Venezuela, país de 30 milhões de habitantes, de acordo com números oficiais, questionados pela oposição e organizações como a Human Rights Watch por considerar que escondem uma realidade muito mais severa.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.