Navigation

Maduro não foi convidado para posse de Bolsonaro, diz futuro chanceler brasileiro

(Arquivo) O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 16. dezembro 2018 - 19:29
(AFP)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, não foi convidado para a cerimônia de posse do presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, revelou neste domingo o futuro chanceler Ernesto Araujo.

"Em respeito ao povo venezuelano, não convidamos Nicolás Maduro para a posse do presidente Bolsonaro", em 1º de janeiro, publicou Araújo no Twitter.

"Não há lugar para Maduro numa celebração da democracia e do triunfo da vontade popular brasileira. Todos os países do mundo devem deixar de apoiá-lo e se unir para libertar a Venezuela", completou o futuro chefe da diplomacia brasileira.

Tradicionalmente, todos os chefes de Estado sul-americanos são convidados para a posse de presidentes brasileiros.

Eleito em outubro, com 55% dos votos, Bolsonaro criticou fortemente o governo venezuelano ao longo de sua campanha. Na última quarta-feira, Maduro acusou o governo dos Estados Unidos de orquestrar um plano para assassiná-lo com a ajuda dos governos conservadores de Brasil e Colômbia.

Admirador do presidente americano, Donald Trump, Araújo anunciou no Twitter que o Brasil irá se retirar do Pacto Mundial sobre as Migrações da ONU após Bolsonaro assumir o cargo.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.