Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, junto com a presidente da Assembleia Constituinte, Delcy Rodríguez, em 24 de maio de 2018

(afp_tickers)

O presidente venezuelano, Nicolás Maduro, renovou nesta quinta-feira (14) seu gabinete de governo, destacando a nomeação de Delcy Rodríguez, uma de suas mais próximas aliadas, como vice-presidente, em substituição a Tareck El Aissami.

"Nomeio como vice-presidente executiva uma jovem mulher, corajosa, aguerrida, filha de mártir, revolucionária e aprovada em mil batalhas; nossa irmã Delcy Eloína Rodríguez", escreveu o mandatário em sua conta no Twitter.

Advogada de 49 anos, Rodríguez ascendeu a posições de grande confiança dentro do governo de Maduro: foi sua ministra de Comunicação entre 2013 e 2014, chanceler entre 2014 e 2017.

Rodríguez assumiu a presidência da Assembleia Constituinte - que rege o país com plenos poderes - desde a sua instalação em agosto de 2017. O organismo deverá substituí-la em votação de seus membros.

Também é presidente do movimento "Somos Venezuela", criado para impulsionar a candidatura à reeleição de Maduro nas últimas eleições em 20 de maio, junto com o governante Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV).

El Aissami, outro fiel aliado de Maduro que era seu vice-presidente desde janeiro de 2017, passará agora a ser vice-presidente de Economia e comandará o recém-criado Ministério de Indústrias e Produção Nacional.

"A épica vitória do povo em 20 de maio - quando Maduro foi reeleito em eleições presidenciais não reconhecidas por parte da comunidade internacional - nos obriga a um novo começo (...) Decidi por uma renovação parcial e profunda do gabinete executivo", indicou o presidente.

A Venezuela está imersa em uma grave crise econômica, caracterizada por uma escassez de alimentos e medicamentos e uma hiperinflação que pode superar 13.800% este ano, segundo o FMI.

Maduro prometeu que suas mudanças buscam "uma revolução econômica para construir as bases do bem-estar e da prosperidade".

Entre as mudanças, também destaca a nomeação de Marleny Contreras como ministra de Obras Públicas. Ela é casada com o número dois do chavismo, Diosdado Cabello, e comandava a pasta de Turismo, que agora será assumida por Stella Lugo.

O presidente também criou o Ministério de Atenção das Águas, em meio a uma severa escassez deste recurso no país. A pasta será dirigida por Evelyn Vásquez.

Dante Rivas foi nomeado ministro da Pesca e Yomana Koteich, ministra de Comércio Exterior e Investimento Internacional. Mayerlin Arias será ministra de Agricultura Urbana.

Hipólito Abreu assumirá o Ministério de Transporte, Eduardo Piñate o do Trabalho, Caryl Bertho o da Mulher e Heryck Rangel o do Eco-socialismo.

Neuer Inhalt

Horizontal Line


swissinfo.ch

Banner da página Facebook da swissinfo.ch em português

subscription form

formulário para solicitar a newsletter

Assine a newsletter da swissinfo.ch e receba diretamente os nossos melhores artigos.










AFP