Navigation

Maduro se despede da ONU declarando 'vitória total'

Foto divulgada pela Presidência venezuelana mostrando o presidente Nicolas Maduro apresentando nova moeda no quadro de novas medidas econômicas, durante a transmissão de um programa de televisão no palácio presidencial de Miraflores, em Caracas, em 17 de agosto de 2018 AFP PHOTO - Venezuelan Presidency afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 28. setembro 2018 - 19:18
(AFP)

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, se despediu nesta sexta-feira (28) da Assembleia Geral das Nações Unidas assegurando que a sua participação foi "uma vitória total".

"Sucesso total", declarou o questionado presidente em um vídeo gravado em Nova York, a caminho do aeroporto, e publicado em sua conta no Twitter.

"A verdade da Venezuela foi ouvida", afirmou. "Vitória na ONU. Vitória total".

"A verdade dos nossos povos prevalecerá sempre sobre o ódio e a mentira", escreveu.

O presidente americano, Donald Trump, disse na quarta-feira na ONU que "todas as opções" estão abertas com relação à Venezuela, inclusive as mais fortes.

Maduro condenou, por sua vez, na assembleia "a agressão permanente" de Washington, mas disse a Trump que queria se reunir com ele e apertar sua mão.

Com um megafone, a embaixadora americana na ONU, Nikki Haley, participou na véspera de uma manifestação de venezuelanos em frente à ONU: "Continuaremos lutando pelos venezuelanos até que Maduro se vá!".

Seis países entraram em acordo esta semana na ONU para pedir à promotora do Tribunal Penal Internacional que investigue o governo Maduro por supostos crimes contra a humanidade.

O Conselho de Direitos Humanos da ONU adotou na quinta-feira uma resolução histórica sobre Venezuela na qual pede ao governo de Maduro que "aceite a ajuda humanitária" para solucionar os problemas de "falta de alimentos, remédios e equipamentos médicos".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.