Navigation

Manifestantes tomam principal avenida de Buenos Aires em protesto por crise

Polícia argentina e manifestantes em 11 de setembro de 2019 em Buenos Aires afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 11. setembro 2019 - 22:33
(AFP)

Milhares de manifestantes tomaram, nesta quarta-feira, a Avenida 9 de Julho, a principal de Buenos Aires, para pedir que seja decretada emergência alimentar na Argentina, que atravessa uma forte crise econômica em meio à corrida presidencial.

Militantes dos movimentos sociais anunciaram que vão acampar por 48 horas, a partir de hoje, na avenida, em um dia com manifestações populares na Praça de Maio, em frente à Casa Rosada, sede da Presidência.

Famílias inteiras, com crianças, se preparavam para acampar na avenida, com mantas e brinquedos.

O Congresso deve receber na quinta-feira um projeto de lei de emergência alimentar, que permitiria aumentar os recursos destinados a subsídios.

"Queremos abertura de programas sociais. Também queremos aumento da receita para os programas vigentes", declarou Eduardo Belliboni, um dos dirigentes.

No começo do protesto, houve incidentes com a polícia, que impediu o bloqueio do serviço transporte.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.