Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

(Arquivo) A polícia britânica prendeu 660 supostos pedófilos, entre os quais médicos, professores, assistentes sociais e chefes de escoteiros, dentro de uma megaoperação lançada há seis meses

(afp_tickers)

A Polícia britânica deteve 660 supostos pedófilos, entre os quais estão médicos, professores e assistentes sociais e chefes de escoteiros, com parte de uma megaoperação iniciada há seis meses, informou nesta quarta-feira a Agência Nacional contra o Crime (NCA).

De acordo com a NCA, esta operação "tinha como objetivo flagrar pessoas que buscavam pornografia infantil na internet", mas terminou em acusações de agressão sexual.

As detenções permitiram salvar 431 crianças "que estavam sob responsabilidade, sob a guarda ou sob controle" dos suspeitos, e levaram a indiciamentos por crimes que vão da posse de imagens obscenas a agressões sexuais graves, segundo o órgão policial.

Entre as crianças, "304 estavam sob a responsabilidade de suspeitos no curso de suas atividades, principalmente professores e médicos", informou uma porta-voz da NCA. Com as prisões, essas crianças que, segundo a polícia, "corriam um risco potencial" estão agora em segurança, assegurou.

Além disso, "outras 127 foram protegidas de um risco imediato" porque "estavam em contato direto" com os suspeitos ou "viviam na mesma casa", de acordo com a mesma fonte.

Mais de 40 unidades policiais participaram da operação, que foi realizada em Inglaterra, Escócia, Gales e Irlanda do Norte.

Entre os detidos, todos com entre 30 e 50 anos de idade, estão "médicos, professores, instrutores escoteiros, assistentes sociais e ex-agentes da polícia", detalhou a NCA, acrescentando que "39 já eram conhecidos dos serviços de segurança como criminosos sexuais".

O primeiro-ministro David Cameron elogiou "o excelente trabalho da NCA", que associou "todos os métodos modernos de manutenção da ordem às últimas tecnologias para deter os autores deste crime particularmente terrível".

No total, os investigadores vasculharam 833 sites e examinaram 9.172 computadores, celulares e discos rígidos.

A Grã-Bretanha enfrenta uma sucessão de denúncias de pedofilia desde o escândalo envolvendo o popular e já falecido apresentador da BBC Jimmy Savile, em 2012. Investigações mostraram que Savile era um predador sexual, que conseguiu agir durante décadas com total impunidade.

O governo abriu recentemente uma investigação sobre uma suposta rede de parlamentares pedófilos.

A NCA informou que nenhum legislador ou membro do governo está entre os detidos na operação anunciada nesta quarta.

Segundo os últimos dados da NCA datando de 2012, cerca de 50.000 pessoas estiveram envolvidas na Grã-Bretanha no compartilhamento de imagens de pedofilia na internet.

Nos últimos 20 anos, o número de imagens indecentes disponíveis na rede passou de 10.000 a dezenas de milhões, segundo a NCA.

AFP