Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

Iemenitas participam de protesto em Sana para exigir a renúncia do governo e manifestar seu apoio a Gaza, em 4 de agosto de 2014

(afp_tickers)

Dezenas de milhares de iemenitas participaram de um protesto nesta segunda-feira em Sana para exigir a renúncia do governo após o aumento dos preços dos combustíveis neste país pobre e assolado pela violência.

"O povo quer derrubar o governo corrupto", gritavam os manifestantes que percorreram o centro de Sana.

"O povo iemenita passa fome", estava escrito em um cartaz exibido em meio ao protesto contra uma decisão do governo de quase dobrar os preços dos combustíveis.

O governo prometeu acompanhar o aumento do preço dos combustíveis com um aumento salarial, mas, de acordo com especialistas, apenas um terço dos iemenitas são assalariados. E, segundo uma estimativa do Banco Mundial de 2012, mais de 54% dos iemenitas vivem abaixo da linha da pobreza.

A manifestação foi convocada pelos rebeldes xiitas do movimento Ansarullah, que pediram no domingo que os iemenitas "saíssem às ruas e praças da revolução amanhã (segunda-feira) para rejeitar a decisão" do aumento dos preços dos combustíveis e manifestar seu apoio a Gaza.

Muitos manifestantes também exibiam bandeiras palestinas, pedindo o fim da ofensiva israelense no enclave palestino, onde mais de 1.850 pessoas foram mortas desde 8 de julho.

O Ansarullah, que controla a região de Saada, no norte do Iêmen, é suspeito de tentar aumentar a sua esfera de influência no futuro Estado federal, que deve ter seis províncias.

Várias manifestações foram organizadas nos últimos meses contra os cortes de energia, frequentes no Iêmen, e a escassez de combustíveis.

AFP