Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

O historiador francês Jean Favier, renomado especialistas em Idade Média, ex-diretor do Arquivo Nacional e ex-presidente da Biblioteca Nacional da França, morreu em Paris em 12 de agosto, aos 82 anos, por complicações de um câncer

(afp_tickers)

O historiador francês Jean Favier, renomado especialistas em Idade Média, ex-diretor do Arquivo Nacional e ex-presidente da Biblioteca Nacional da França, morreu em Paris em 12 de agosto, aos 82 anos, por complicações de um câncer, informou à AFP neste sábado seu filho.

Nascido em Paris, em 2 de abril de 1932, Jean Favier entrou na prestigiosa Escola das cartas, onde obteve o título de arquivista paleógrafo em 1956 antes de se tornar professor de história e doutor em letras.

Seguiu na carreira acadêmica na Faculdade de Rouen e depois na Ecole Pratiques des Hautes Etudes e na Sorbonne, em Paris.

Em 1975, tornou-se diretor do Arquivo Nacional, cargo que ocupou por 19 anos, período em que se concentrou em modernizar drasticamente o setor.

Foi nomeado presidente da Biblioteca Nacional da França em 1994, e em 1997, presidente da Comissão Nacional Francesa para a Unesco.

Jean Favier deixa uma bibliografia impressionante, com títulos como Un conseiller de Philippe le Bel: Enguerran de Marigny (1963), De Marco Polo à Christophe Colomb (1968), Paris au XVe siècle (1975), La Guerre de cent ans (1980), Le Temps des principautés (1984), De l’or et des épices (1987), Chronique de la Révolution (org., 1988), Les Grandes découvertes. D’Alexandre à Magellan (1991), Dictionnaire de la France médiévale (1993) e Paris, deux mille ans d’histoire (1997), Louis XI (2001) e Roi René (2008).

Em 1993, publicou Dictionnaire de la France médiévale, resultado de 15 anos de trabalho no qual explora em quase mil páginas dez séculos de nossa história.

AFP