Navigation

Mortes por overdose de opioides no Canadá chegam a 8.000

Esta foto de arquivo sem data, divulgada em 10 de agosto de 2017 pela Agência de Repressão às Drogas dos EUA (DEA), mostra comprimidos de 20 mg de OxyCotin afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 18. setembro 2018 - 20:53
(AFP)

Mais de mil canadenses morreram aparentemente de overdose de opioides nos primeiros três meses deste ano, elevando para 8.000 o número de vítimas desde o início dessa crise, em 2016, informou a agência de saúde pública do país nesta terça-feira.

"Os últimos dados sugerem que a crise não está diminuindo", disse a agência em um comunicado.

"Queremos enfatizar que a atual crise não discrimina", afirmou. "Ela afeta pessoas de todas as classes sociais, faixas etárias e origens socioeconômicas. No entanto, é claro que certas populações e regiões são mais afetadas do que outras".

Historicamente, as mortes por overdose - principalmente do potente analgésico fentanil - concentravam-se entre os viciados em drogas.

Mas a crise agora está atingindo também pessoas que se tornaram dependentes de analgésicos prescritos antes de começarem a usar drogas ilícitas.

As províncias de Colúmbia Britânica e Alberta continuam sendo as mais atingidas, disse a agência.

A prescrição excessiva e as vendas ilícitas de analgésicos têm sido amplamente responsabilizadas pela crise de opioides que atinge a América do Norte.

No entanto, a Colúmbia Britânica alega que empresas farmacêuticas como a Purdue, fabricante do OxyContin, "enganaram prescritores e pacientes sobre os riscos e benefícios dos opioides", o que resultou em uma "epidemia de dependência".

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.