Navigation

Nasa testa sistema de interrupção de lançamento para cápsula lunar

Lançamento de foguete com uma cápsula Orion, em 2 de julho de 2019, no Cabo Cañaveral, no estado da Flórida afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. julho 2019 - 14:08
(AFP)

A Nasa testou com sucesso, nesta terça-feira (2), um sistema de interrupção de emergência do lançamento de sua cápsula Orion, projetada para levar astronautas americanos à Lua.

O teste foi realizado no Cabo Cañaveral, na Flórida, e transmitido ao vivo. O objetivo era verificar, em condições quase reais, a retirada dos astronautas, caso houvesse algum problema (como uma explosão) no foguete, pouco depois do lançamento que os levará à Lua.

Esse teste "nos aproxima do primeiro voo do (programa) Artemis, que enviará pessoas para a Lua", comemorou Mark Kirasich, membro do programa Orion, da Nasa.

Este sistema de emergência é o equivalente americano do que foi usado, em outubro passado, para trazer de volta à Terra um astronauta da Rússia e outro dos Estados Unidos. Pouco antes da decolagem, no Cazaquistão, houve um problema em sua nave Soyuz.

Para este teste de terça-feira, a Agência Espacial Americana (Nasa) lançou uma cápsula Orion sem tripulação impulsionada por um minifoguete.

A uma altitude de 9.500 metros, 55 segundos depois de seu lançamento, uma torre propulsada situada acima do módulo da tripulação pegou fogo nos motores para separar rapidamente a cápsula Orion do foguete.

Em apenas 15 segundos, o módulo onde os tripulantes viajarão ganhou mais de três quilômetros de altitude. Nesse momento, a torre orientou a cápsula para preparar a descida e sua posterior separação.

Em condições reais, teriam sido acionados os paraquedas que ajudariam a cápsula, na qual estaria a tripulação, a cair no Atlântico.

A Nasa evitou o teste dos paraquedas, porque o material é muito caro e já foi testado muitas vezes.

A cápsula caiu na água e, depois de expulsar sua caixa-preta, a Nasa a deixou afundar.

A agência americana pretende voltar a enviar astronautas para a Lua em 2024. Os trabalhos na cápsula Orion parecem estar seguindo o calendário previsto. Já o foguete que irá levá-la para o espaço, batizado de SLS e desenvolvido pela Nasa e pela Boeing, está atrasado.

Os primeiros voos sem tripulação do programa lunar estão previstos para junho de 2020, mas devem sofrer atrasos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.