Navigation

Nave com robô humanoide russo atraca na ISS

Dados sobre o robô russo enviado à Estação Espacial Internacional afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 27. agosto 2019 - 18:48
(AFP)

A nave Soyuz com o robô humanoide Fedor a bordo atracou com sucesso, nesta terça-feira, na Estação Espacial Internacional (ISS), após uma primeira tentativa fracassada no final de semana, anunciou a agência espacial russa (Roscosmos).

"Me desculpo pelo atraso, estava em um engarrafamento. Já estou pronto para continuar o trabalho", afirmou o robô em uma mensagem em sua conta no Twitter.

Um comunicado do portal de internet da Roscosmos informou que a nave Soyuz MS-14 se acoplou à ISS às 3H08 GMT (0H08 de Brasília).

Em uma mensagem dirigida aos astronautas russos a bordo da ISS, o presidente Vladimir Putin os parabenizou pela resolução do incidente.

Os problemas com o acoplamento "eram de certo modo anormais", disse Putin. "Como acontece sempre com nossos cosmonautas, resolveram os problemas perfeitamente", acrescentou.

O robô, com corpo antropomórfico prateado, mede 1,80 metro e pesa 160 quilos. Fedor é um nome russo (Feodor) e também uma sigla em inglês: "Final Experimental Demonstration Object Research".

Capaz de imitar os movimentos humanos, Fedor terá como missão ajudar os astronautas em suas tarefas, mas não poderá se movimentar livremente pela estação.

Um comentarista na Nasa TV, que transmitia a operação de acoplamento, destacou "a perfeita aproximação à ISS". "Contato confirmado, captura confirmada", relatou.

Fedor havia partido na quinta-feira a bordo do foguete Soyuz MS-14 lançado do cosmódromo russo de Baikonur, no Cazaquistão.

A nave Soyuz transportou 670 quilos de carga: equipamento científico e médico, componentes para o sistema de suporte vital, além de contêineres com alimentos, remédios e produtos de higiene pessoal para os membros da tripulação.

A princípio, o robô deve permanecer 10 dias na ISS para auxiliar os astronautas. O retorno está previsto para 7 de setembro.

O fracasso na primeira tentativa de acoplamento no sábado foi uma desilusão para o setor espacial russo, que nos últimos anos sofreu acidentes e escândalos de corrupção.

Em outubro passado, um acidente ocorrido em um Soyuz minutos depois da decolagem obrigou os astronautas a bordo - o americano Nick Hague e o russo Alexéi Ovtchinin - a uma aterrissagem de emergência.

- Tarefas perigosas -

A bordo da ISS, o robô vai participar em diferentes atividades, sob a supervisão do cosmonauta russo Alexander Skvortsov, que chegou à Estação Espacial Internacional no mês passado.

Fedor deve testar suas capacidades em condições de gravidade muito reduzida. Uma de suas principais habilidades é imitar os movimentos humanos e, desta maneira, poderá auxiliar os astronautas.

As operações o obrigarão a manejar uma chave de fenda e outras chaves, afirmou Alexander Bloshenko, diretor de programas da agência espacial russa, Roscosmos, em uma entrevista ao jornal Rossiyskaya Gazeta.

Esse robô foi criado para trabalhar nas condições mais difíceis, que seriam perigosas para o homem, detalhou Bloshenko. As autoridades russas pretendem utilizar Fedor no futuro para a exploração espacial.

Fedor não é o primeiro robô enviado em uma missão similar.

Em 2011, a Nasa enviou ao espaço um robô humanoide chamado Robonaut 2, desenvolvido em parceria com a General Motors, com o mesmo objetivo de testar suas atividades em um ambiente de risco elevado.

O robô retornou à Terra em 2018 por problemas técnicos.

Em 2013, o Japão enviou ao espaço o pequeno robô Kirobo, coincidindo com a chegada do primeiro comandante japonês da ISS, Koichi Wakata.

Kirobo era capaz de falar, mas apenas em japonês.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.