Navigation

Nicarágua doa a Cuba alimentos para ajudar a aliviar escassez

O navio nicaraguense Augusto César Sandino chegou nesta sexta-feira ao porto de Mariel com uma doação de alimentos para ajudar Cuba afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 07. agosto 2021 - 01:38
(AFP)

O navio nicaraguense Augusto César Sandino chegou nesta sexta-feira (6) ao porto de Mariel, 50 quilômetros a oeste de Havana, com uma doação de óleo e feijão para amenizar a escassez de alimentos sofrida por Cuba.

Trata-se de 30 contêineres carregados com esses dois produtos enviados pelo governo de Daniel Ortega, um antigo aliado de Havana, verificaram jornalistas da AFP presentes no local.

A ilha foi muito afetada pelos efeitos associados à pandemia, que impediu a entrada de turistas, e pelo endurecimento do embargo americano.

Outros governos amigos de Cuba, como os da Rússia, China, México, Venezuela, Bolívia e Vietnã, enviaram nas últimas semanas remessas de alimentos, além de remédios e suprimentos médicos como máscaras, ventiladores e outros equipamentos.

Associações e grupos da sociedade civil do Canadá, Estados Unidos, Espanha e Jamaica também contribuíram com seringas e outros meios para continuar a campanha de vacinação contra a covid-19, que é realizada com duas vacinas desenvolvidas por cientistas cubanos.

Até quinta-feira, Cuba registrava 439.899 infecções por covid-19 com 3.259 mortes, números mais baixos em comparação com outros países da região, mas considerados muito altos pelas autoridades de saúde que enfrentam seu pior momento da pandemia.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?