Navigation

NY esgota vacinas contra covid e pede ajuda ao governo federal

Abertura de um novo centro de vanicação contra a covid no Harlem, em Nova York, 15 de janeiro de 2021 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. janeiro 2021 - 22:41
(AFP)

O estado de Nova York esgotará seu lote de vacinas contra a covid-19 nesta sexta-feira (21), informou o governador Andrew Cuomo, pressionando o novo governo federal a enviar novas doses.

"O estado de Nova York finalizará seu lote de vacina para a primeira dose hoje. Mas nosso novo estoque chegará durante a semana", afirmou Cuomo em sua conta no Twitter.

“Assim que chegar colocaremos a vacina em mais braços, o mais rápido possível”, acrescentou o governador, que há uma semana pediu ao governo federal que acelere a entrega das vacinas aos estados.

Desde que Nova York ampliou a vacinação primeiro para maiores de 75 anos e depois, nesta semana, para maiores de 65 anos, seguindo orientação do governo federal, muitos enfrentam dificuldades para marcar uma consulta para se vacinar nos portais online do estado ou da cidade.

Alguns centros de vacinação cancelaram milhares de consultas já marcadas e deixaram de agendar novas.

"Não marquem consultas a menos que saibam que terá uma dose", pediu Cuomo aos centros de vacinação nesta sexta-feira.

Pessoas que já receberam a primeira dose da vacina têm garantida uma segunda, garantiu.

O prefeito de Nova York, Bill de Blasio, escreveu em uma carta enviada ao presidente Joe Biden na sexta-feira que mais de 500.000 pessoas - de uma população de 8,6 milhões - foram vacinadas contra o vírus na cidade.

Mas, quando os critérios de vacinação foram ampliados, "os estoques se esgotaram", lamentou o prefeito em seu pedido de ajuda.

Biden prometeu acelerar a campanha de vacinação para chegar a 100 milhões de inoculações até o 100º dia de sua presidência e assinou vários decretos na quarta-feira, assim que assumiu o cargo, para intensificar a luta contra o vírus.

A pandemia já deixou mais de 410.000 mortos nos Estados Unidos, mais do que em qualquer outro país do mundo, e Biden estimou nesta sexta-feira que o número final de mortos pode ultrapassar 600.000.

Partilhar este artigo

Modificar sua senha

Você quer realmente deletar seu perfil?