Conteúdo externo

O seguinte conteúdo vem de parceiros externos. Nós não podemos garantir que esse conteúdo seja exibido sem barreiras.

A UE já confirmou sua decisão de sancionar quatro empresários russos ligados a Vladimir Putin por apoiar ou se beneficiar da crise na Ucrânia.

(afp_tickers)

O presidente Barack Obama declarou nesta terça-feira que os Estados Unidos se juntaram à União Europeia na imposição de novas sanções contra os setores de energia, indústria de armamentos e financeiro da Rússia.

"As maiores sanções que estamos anunciando hoje continuarão aumentando a pressão sobre a Rússia, incluindo seus aliados e empresas que apoiam as atividades ilegais da Rússia na Ucrânia", acrescentou.

Apesar do aumento da pressão, Obama deixou claro que os Estados Unidos não estão entrando em uma "nova Guerra Fria" contra a Rússia. Mas, segundo ele, a Europa está perdendo a paciência com o presidente russo, Vladimir Putin, devido ao envolvimento de Moscou na crise ucraniana.

"Estamos bloqueando exportações de bens específicos e de tecnologias para o setor de energia russo", afirmou o líder americano.

"Estamos ampliando nossas sanções para mais bancos russos e empresas de defesa. Estamos suspendendo formalmente créditos e financiamento para projetos de desenvolvimento econômico na Rússia".

Já o primeiro-ministro canadense, Stephen Harper, disse que, nos próximos dias, Ottawa vai anunciar novas sanções contra a Rússia, seguindo as já adotadas por seus aliados.

AFP