Navigation

Obstáculos no caminho de migrantes que tentam chegar aos EUA

Migrantes hondurenhos que viajam em caravana rumo aos Estados Unidos, embarcam em caminhão perto de Pijijiapan, no sul do México, em 26 de outubro de 2018 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 26. outubro 2018 - 21:27
(AFP)

A caravana migrante que partiu de Honduras avançava nesta sexta-feira (26) pela costa mexicana do Pacífico com obstáculos crescentes pela negativa de alguns meios de transporte em ajudá-las em seu périplo até os Estados Unidos.

Nesta sexta, os migrantes partiram às 03h00 da cidade de Pijijiapan até Arriaga, em Chiapas, por onde passa o trem que, por anos, muitos como eles tomaram para chegar aos Estados Unidos, conhecido popularmente como "a Fera".

O trajeto de cerca de 100 quilômetros leva mais de 15 horas no percurso a pé.

Diante do calor registrado na área, muitos dos migrantes tentavam subir em caminhões de carga e outros veículos para chegar a Arriaga, embora tivessem dificuldades de alcançá-los.

"Os policiais já disseram a eles (motoristas) que não nos levem", comentou Ricardo Cruz, um migrante de 58 anos, enquanto esperava, de manhã cedo, o momento em que pudesse pular em algum veículo.

"Estamos um pouco cansados e é muito longo o que ainda temos quer percorrer, mas não há trabalho em nosso país, o que vamos fazer? Morrer de fome, talvez?", questionou o homem, que se dedicava ao cultivo da palma africana no departamento de Colón, em Honduras.

Os migrantes estão dispostos a chegar aos Estados Unidos apesar das advertências do presidente Donald Trump de que eles não serão autorizados a passar.

Segundo vários meios de comunicação americanos, a Casa Branca está analisando emitir um decreto que suspenda a possibilidade de que migrantes centro-americanos entrem nos Estados Unidos para pedir refúgio.

Eles ainda precisam percorrer mais de 3 mil quilômetros para chegar à fronteira com os Estados Unidos, de acordo com seus cálculos, em um trajeto que deve levar um mês e meio, aproximadamente. A ONU estima que cerca de 7.000 pessoas viajem na caravana.

Até quarta-feira passada, foram contabilizados 1.743 solicitações de refúgio no México, particularmente menores de idade com suas mães e outras mulheres, segundo o governo mexicano.

Nesta sexta-feira, as autoridades detiveram outros 100 migrantes de El Salvador e Honduras que tentavam chegar aos Estados Unidos.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.