Navigation

ONG que defende opositores presos na Venezuela critica Bachelet

(21 jun) Bachelet participa de entrevista coletiva em Caracas afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 22. junho 2019 - 22:24
(AFP)

A ONG Foro Penal, que defende opositores presos, criticou neste sábado a alta comissária da ONU para os Direitos Humanos, Michelle Bachelet, por considerar que não foram alcançados os resultados desejados de sua visita à Venezuela.

"A eficácia da visita e os resultados não foram obtidos. Até o dia de hoje, não se obteve a libertação dos presos políticos", declarou Alfredo Romero, diretor da ONG.

Segundo a organização, existem no país 687 presos políticos, mas o presidente Nicolás Maduro, acusado pela oposição de violações sistemáticas dos direitos humanos, rejeita considerá-los como tal.

Bachelet pediu ontem às autoridades venezuelanas a libertação dos detidos na Venezuela, país cuja situação humanitária considerou grave. A alta comissária apresentará um relatório sobre a Venezuela no próximo dia 5 de julho.

"Esperamos que o documento não seja tímido como a declaração", disse o diretor da Foro Penal. Antes de deixar o país, na noite de ontem, Bachelet comemorou a libertação do parlamentar opositor Gilber Caro no último dia 17, após quase dois meses de prisão, e as de Melvin Farías e Junio Rojas.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.