Navigation

ONU: covid-19 bloqueia financiamento em inovação

Pesquisadores do Centro de Inovação Avançada em Genômica da Universidade de Pequim, em 14 de maio de 2020 afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 02. setembro 2020 - 12:39
(AFP)

A pandemia da covid-19 afeta seriamente o financiamento para inovação e pode acelerar ainda mais a transferência de capacidades para a Ásia - alertou a ONU nesta quarta-feira (2).

"O maior risco é que os gastos e os meios para financiar a inovação não despenquem em um momento em que a economia global está passando por uma desaceleração", disse o diretor-geral da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (WIPO), Francis Gurry, durante uma entrevista coletiva virtual.

Por enquanto, não há uma estimativa precisa da extensão da queda nos investimentos em pesquisa e desenvolvimento causada pela pandemia, "mas há sinais claros de que as fontes de financiamento à inovação estão paralisando em todo mundo", afirmou Gurry, lembrando que, em 2018, os gastos com pesquisa e desenvolvimento cresceram 5,2%, muito mais do que o crescimento do PIB mundial.

Para o chefe da OMPI, quem mais vai sofrer com a redução desses recursos são as empresas emergentes, que precisam de financiamento de longo prazo, assim como as que estão localizadas em países em desenvolvimento.

"O panorama é sombrio", comentou, lançando um apelo aos governos para que reconheçam a importância de se investir em inovação para sair da crise provocada pela covid-19 e garantir a recuperação.

Gurry também divulgou o ranking de 2020 dos países mais inovadores. A Suíça lidera a lista pelo décimo ano consecutivo.

Essa lista, estabelecida antes da pandemia com a ajuda da Universidade Cornell dos Estados Unidos e da escola de comércio INSEAD, também mostra um boom em vários países asiáticos, em especial China, Índia, Filipinas e Vietnã.

Esses países fizeram avanços significativos nos últimos anos e, agora, estão entre os 50 primeiros. A China está em 14º lugar.

Gurry emitiu uma previsão "muito cautelosa" de que "a mudança para a Ásia pode ser uma das tendências aceleradas pela pandemia".

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.