Navigation

Peru prolonga confinamento por COVID-19 até 10 de maio

O presidente peruano, Martín Vizcarra, decretou o revezamento de homens e mulheres nas ruas diante da pandemia do novo coronavírus. afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 23. abril 2020 - 20:41
(AFP)

O Peru estendeu nesta quinta-feira o confinamento da população em suas casas até 10 de maio e anunciou a entrega de um benefício social a 6,8 milhões de famílias, para atender à emergência do coronavírus.

"A curva continua a subir. E responsavelmente, isso nos obriga a não baixar a guarda. É melhor prolongar o estado de emergência por mais duas semanas. Será estendido até domingo, 10 de maio", anunciou o presidente Martín Vizcarra, prolongando uma medida que estava em vigor desde 16 de março e que expiraria em 26 de abril.

"A extensão é de duas semanas. Estamos na fase mais difícil da doença", afirmou o presidente em uma entrevista coletiva virtual.

Vizcarra também anunciou que o governo fornecerá um vínculo de 760 soles (cerca de R$ 1,225) a 6,8 milhões de famílias, que ficaram sem renda devido à pandemia.

"Em todos os países da região, o Peru é quem está fazendo o maior esforço para atender a população que requer ajuda de seu governo neste momento difícil", disse Vizcarra.

O presidente admitiu que a entrega do vale será complicada, porque "metade (das famílias beneficiárias) não possui conta bancária para efetuar a transferência".

O presidente também anunciou que algumas atividades serão retomadas em 4 de maio, que podem incluir restaurantes com entrega em domicílio.

Este artigo foi automaticamente importado do nosso antigo site para o novo. Se há problemas com sua visualização, pedimos desculpas pelo inconveniente. Por favor, relate o problema ao seguinte endereço: community-feedback@swissinfo.ch

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.