Navigation

Peru supera os 240.000 casos de coronavírus

(Arquivo) Na região peruana de Loreto, pessoas aguardam para receber o auxílio emergencial afp_tickers
Este conteúdo foi publicado em 17. junho 2020 - 23:32
(AFP)

O Peru superou os 240.000 casos de coronavírus nesta quarta-feira (17), ocupando o sétimo lugar entre os países do mundo com o maior número de pessoas infectadas, à frente da Itália, informou o Ministério da Saúde.

Os casos confirmados da COVID-19 chegaram a 240.908, de acordo com o balanço mais recente, com registro de 3.752 novos casos nas últimas 24 horas.

Depois do Brasil, que possui 955.377 casos, o Peru é o segundo país da América Latina com o maior número de casos.

O número total de mortos subiu para 7.257, um aumento de 201 mortes somente no último dia, o segundo maior registro diário de falecimentos desde que foi declarada a pandemia em março.

Com 33 milhões de habitantes, o Peru é o terceiro país da América Latina com mais mortes causadas pela doença, atrás somente do Brasil e do México.

Na última terça, o ministro da Saúde, Víctor Zamora, rejeitou comparar a situação no país com a da Itália diante da imprensa estrangeira, alegando que são realidades diferentes e que o número de mortos é menor nesse país da América Latina.

A Itália, onde a pandemia regrediu, tem um total de 237.800 casos de coronavírus registrados e mais de 34.000 mortos, o quarto maior número de óbitos no mundo.

O número de pessoas infectadas no Peru aumentou em junho para uma média diária de 4.500 casos, aparentando uma queda se comparado à última semana de maio, quando o país teve em média 6.370 casos registrados por dia.

Entre os infectados, existem cerca de 1.600 médicos, dos quais 57 morreram, segundo grupos sindicais.

"Esse cenário ocorreu por causa da falta de proteção adequada", explica o Dr. Teodoro Quiñones, líder do sindicato de segurança social, que responde por 400 hospitais e consultórios médicos no país.

"Em março, anunciamos o que aconteceria, caso não tivéssemos proteção adequada", alerta Quiñones, enquanto protestava com colegas do lado de fora do hospital Rebagliati, em Lima, exigindo equipamentos de proteção para o pessoal de saúde.

O Peru está em isolamento obrigatório há quase 13 semanas. A suspensão quase que total das atividades comerciais e de produção já deixou dois milhões de pessoas desempregadas.

Com 10.204 pacientes hospitalizados por coronavírus, segundo o balanço mais recente, há algumas semanas o sistema de saúde está à beira do colapso, sofrendo de grande falta de oxigênio para tratar pacientes gravemente doentes.

No entanto, mais da metade dos infectados (128.622) sobreviveu à doença, de acordo com o balanço. Nas últimas 24 horas, 3.417 pacientes receberam alta.

Partilhar este artigo

Participe da discussão

Com uma conta SWI, você pode contribuir com comentários em nosso site.

Faça o login ou registre-se aqui.